poesia, Carlos Lopes Pires

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018


apanhar ar
mexer na terra
receber a luz

mover as sombras
ou segui-las

e depois ir
como se fosse vento
e lá fora chuva
                             (para a-porfírio)










4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. ainda bem que há pessoas que ainda se molham com a chuva e, pior que isso, que se sentam com ela.

    ResponderEliminar
  3. ainda bem que os telhados
    não protegem de toda a chuva
    pingos passam por mim
    com um sorriso

    Estão velhas
    estas telhas

    gosto delas assim

    fazem-me recordar
    um certo tempo

    (a pensar na Lurdes, na Sinó, no Vitor: a treparmos o tempo de dois em dois degraus...)

    ResponderEliminar