poesia, Carlos Lopes Pires

sexta-feira, 6 de abril de 2018

o amor é uma grande dor
que há no mundo

e vem das árvores e do outono
cresce entre os espinhos e as rosas
com pássaros fome gestos

e é uma dor muito grande
uma cadeira um banco
um dia

tanta coisa cabe nesta dor

até mesmo a alegria
 
                     (In a noite que nenhuma mão alcança, Junho de 2018)
 

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. foi-me dado a saber
    que amanhã vai ser
    tempo de mais um foco
    da luz dos teus poemas

    há um ponto no universo
    na infinitude do tempo
    e no incomensurável do espaço

    onde os teus versos
    se procuram

    no princípio que não encontra o fim

    uma luz indescritível
    que não invisível
    pressente-se
    vinda dum buraco negro
    não-dimensionável

    luz filtrada por rosas
    e pelo voo dos pássaros

    abr18
    a-porfírio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas que encontramos na vida, e nem sabemos bem porquê. Pessoas que nos fazem sentir redondos. Pessoas que se acompanham de leveza e nos fazem sentir leves. Que usam as palavras como se fossem rosas. Pessoas que podemos ter conhecido apenas ontem, mas que sentimos conhecer desde sempre e de algum lado. Assim és tu.

      Eliminar